Diretor do HM em Ji-Paraná justifica falta de médicos e diz que filas só serão evitadas com atendimento nas UBS

Para o diretor do Hospital Rafael Papa casos corriqueiros devem ser tratados nas Unidades Básicas de Saúde, o que evita a longa demora no atendimento no Pronto Socorro

O diretor do Hospital Municipal de Ji-Paraná, Rafael Papa, justificou esta semana a falta de médicos que gerou inúmeras reclamações de pacientes que precisaram esperar por mais de sete horas para ser atendidos. Alguns voltaram para casa sem atendimento.

De acordo com Rafael Papa no último domingo dois médicos apresentaram atestado porque estavam doentes e fez com que os atendimentos do setor, chamado de Pronto Atendimento, fosse prejudicado.

“Eles precisaram parar porque estavam doentes e o atendimento teve que ser interrompido no setor de Pronto Atendimento. Esse setor recebe as pessoas que nós classificamos como azul ou verde, o que é isso? Não urgente é o azul e o pouco urgente é o verde. Nesses locais a gente acaba fazendo a retirada do profissional para poder nutrir as portas de urgência e emergência, que são as entradas do Pronto Socorro, entrada da Pediatria e a entrada da Maternidade, onde é fundamental a presença do médico.
Nesses locais não falta médico.” Disse Rafael Papa.

Sem saber se conseguiria atendimento para a filha a servidora pública Sônia Limeira, desabafou.

“Eu levei minha filha que estava com muita dor de cabeça e febre e não tivemos nenhum atendimento. O que tinha era muita gente passando mal e ninguém falava nada sobre os médicos. Só muito tempo depois fomos avisados que os médicos estavam de atestado, mas o que nos irrita é o descaso” Relatou a servidora.

Já o operador de máquinas Jordão Lamota disse que o filho chegou ao hospital sentindo dores no estômago e acabou desistindo de esperar por não ter certeza se conseguiria atendimento.

“A única coisa que eu vi foi gente reclamando e ninguém falava nada se teria médico e a gente fica jogado esperando com a criança chorando de dor. É um absurdo o que fazem com a gente neste hospital”, Desabafou ele.

De acordo com o diretor do hospital a demora no atendimento só será amenizada quando às pessoas procurarem as Unidades Básicas de Saúde.

“O ambulatório é o maior gerador de reclamações dentro do hospital municipal hoje. Lá atende os classificados azuis e os verdes. Cerca de 80% dos pacientes que veem ao Hospital Municipal estão classificados como azul e verde, e esses pacientes deveriam estar na rede básica de saúde, no posto de saúde. Mas sem problema! Se esse paciente busca o hospital ele vai ser atendido, só que é Ji-Paraná inteiro buscando esse atendimento, por isso é preciso a compreensão de que existe muitas pessoas, mas a gente vai atender, talvez não nas quatro horas mas será atendido.” Explicou Papa.

Da Redação