NESTA QUINTA – Ação do PROCON em Ji-Paraná na Av. Brasil foi de orientação aos comerciantes

Diretor da Associação Comercial de Ji-Paraná, Alexandre Dartiballi, acompanhou ação do PROCON na manhã desta quinta

Ação de orientação do PROCON, realizada na manhã desta quinta (01) na Av. Brasil, assustou empresários, comerciantes e lojistas que imaginaram que o comércio seria fechado. “Eu recebi vários telefonemas e mensagens de amigos que se apavoraram ao ver a fiscalização. Não sabíamos do que se tratava e claro, ficamos com medo. Na crise que estamos fechar o comércio novamente seria o nosso fim.” Disse o lojista Carlos Henrique.

Servidores do PROCON estiveram em alguns estabelecimentos com apoio da Polícia Militar orientando sobre o decreto vigente que não permite abertura de alguns setores do comércio.

O dia foi de orientação para que o decreto que esta em vigência seja cumprido. Todos os empresários que foram orientados serão novamente fiscalizados e caso não fechem o comércio serão autuados e multados.

O Diretor da Associação Comercial de Ji-Paraná, Alexandre Dartiballi, acompanhou a ação e segundo ele o momento é delicado.

“O PROCON veio aqui para notificar os empresários e mostrar que é pra fechar mas não esta dando auto de infração a ninguém. Eu vim pra ajudar os empresários, acompanhar o PROCON e mostrar pra eles que não é terrorismo. Mas o que me chateia em tudo isso é que os empresários estão no linear de demitir inúmeros funcionários, e dependendo de governantes que nunca abriram um CNPJ. Alguns nunca contrataram e cuidam de um PIB de um Estado que é uma fortuna e todos os empresários acabam ficando na mão deles e ficamos dependendo de ações que não tem cabimento. Nós temos aqui no município 140 ou 150 contaminados e 150 mil habitantes, como fechar uma cidade como essa? É um absurdo. Eu fico revoltado com isso.” Desabafou ele.

Ainda, segundo Dartiballi a comunidade precisa fazer sua parte em se cuidar e ajudar a não propagar o vírus. “As pessoas estão fazendo festas nas casas, andam sem máscara, vai fazer caminhada e estão sem máscara. Vai correr, vai pra piscina, vai pra futebol. Temos que ter responsabilidade. Essas mesmas pessoas que estão andando sem mascaras depois perdem o emprego e vão reclamar da economia, vão reclamar do governo, vão reclamar do prefeito, e nós estamos aqui tentando fazer a coisa acontecer. Mostrando que o comércio não esta contaminando mas o cidadão também tem que contribuir e andar com máscara e se cuidar na rua.” Alertou

VEJA A LISTA DO QUE PODE FUNCIONAR
a) Açougues, panificadoras, supermercados e lojas de produtos naturais;
b) Atacadistas e distribuidoras;
c) Serviços funerários;
d) Hospitais, clínicas de saúde, clínicas odontológicas, laboratórios de análises clínicas e
farmácias;
e) Consultórios veterinários e pet shops;
f) Postos de combustíveis, borracharias e lava-jatos;
g) Oficinas mecânicas, autopeças e serviços de manutenção em geral;
h) Serviços bancários, contábeis, lotéricas e cartórios;
i) Restaurantes e lanchonetes localizadas em rodovias;
j) Restaurantes e lanchonetes em geral, para retirada (drive-thru e take away) ou entrega em
domicílio (delivery);
k) Lojas de materiais de construção, obras e serviços de engenharia;
l) Lojas de tecidos, armarinhos e aviamento;
m) Distribuidores e comércios de insumos na área da saúde, de aparelhos auditivos e óticas;
n) Hotéis e hospedarias;
o) Segurança privada e de valores, transportes, logística e indústrias;
p) Comércio de produtos agropecuários e atividades agropecuárias;
q) Lavanderias, controle de pragas e sanitização;
r) Outras atividades varejistas com sistema de retirada (drive-thru e take away) e entrega em
domicílio (delivery);
As demais atividades sofrem restrições de funcionamento, conforme decreto estadual nº
25049/2020, alterado pelo decreto estadual nº 25.138/2020, juntamente com a portaria nº 011
de 29 de junho de 2020.

PARCERIA